A violência política sobre o Partido Comunista Português em clandestinidade no contexto da Guerra Civil Espanhola

Márcio José Monteiro Matos

Abstract


Neste breve artigo de estudo pretender-se-á demonstrar de que forma a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) levou a uma escalada da violência em Portugal por parte do regime, sobre um dos seus principais alvos, o PCP (Partido Comunista Português). Num período em que o fascismo já tinha trilhado o seu caminho de ascensão ao poder com um primeiro período de Ditadura Militar (1926-1933) e depois legitimado com a Constituição de 1933 no que viria a dar no Estado Novo (1933-1974). O PCP vinha de um período de adaptação à clandestinidade, após a forte repressão sofrida no contexto do ‘Reviralho’ que penosamente se associou e se desfalcou. O período em que nos debruçamos leva-nos para uma época em que a URSS via Internacional Comunista aponta a expansão do comunismo na Europa Ocidental pela via legalista, ou seja, a conquista do poder pelo voto através de amplas coligações de esquerda.

Parole chiave


Partido Comunista Português; Guerra Civil Espanhola; Internacional Comunista

Full Text

PDF

Refback

  • Non ci sono refbacks, per ora.