A violência como negócio a partir do conto «Matadores» de Marçal Aquino

Fábio Marques Mendes

Abstract


Propomos uma análise literária e social do conto «Matadores» (1991), de autoria de Marçal Aquino. Nosso objetivo é considerar o uso da ironia (no plano formal da narrativa) como estratégia para articular e intensificar a violência (plano temático), nos termos da racionalização burocrática do novo capitalismo. Essa tensão dialética implicaria no tratamento da violência como um negócio, conduzida racionalmente pelos heróis da narrativa e realizada no espaço da fronteira. Isto acontece a fim de corroer e reforçar os discursos e os mecanismos de controle sociais e literários hegemônicos, mantidos e organizados por estruturas de dominação em crise na sociedade brasileira, no período de transição entre o fim do regime militar à redemocratização.

Parole chiave


Marçal Aquino; Violência; Ironia; Burocracia

Full Text

PDF

Refback

  • Non ci sono refbacks, per ora.