A violência da linguagem: política do medo e falência da crítica

Maria Eduarda Gonçalves Peixoto

Abstract


Este artigo propõe uma leitura possível da violência a partir de uma crítica radical da linguagem. Para além da compreensão da violência ‘na’ linguagem, em referência a formas de ação violenta que os usos linguísticos podem assumir, há a violência ‘da’ linguagem, que sublinha a violência como constitutiva do ato mesmo de significação. Com base nisso, inicialmente, vinculam-se violência e processos discursivos de significação à luz da crítica radical de S. Zizek (2014) e E. Laclau (1985). A seguir, mostra-se como tal relação é articulada na mediação do escândalo político Novos aloprados (2010), através da análise dos recursos metafóricos empregados pelas esferas enunciativas de mídia, segundo a tipologia de Lakoff e M. Johnson (2002). Finalmente, argumentamos a favor de que a linguagem é, irremediavelmente, uma performance ideológica violenta.

Parole chiave


Linguagem; Violência; Ideologia; Crítica

Full Text

PDF

Refback

  • Non ci sono refbacks, per ora.